Este blogue pretende dar a conhecer “leituras” realizadas por alunos do AEMD. Está associado ao projeto "Cartão de Fidelidade" da Biblioteca Escolar que atribui pontos por cada opinião sobre livros lidos.

09
Fev 19

seleção.jpg

Título: A seleção

Autor: Kera Cass

Editora: Marcador

Ano da 1ª edição: 2014

Sinopse: "A seleção" é uma saga de seis livros (A seleção, A elite, A escolha, Felizes para sempre, A herdeira, A coroa) escrita por Kiera Cass. 

A história acontece a seguir a uma 4ªguerra mundial em que os Estados Unidos deixaram de existir  e são substituídos por um país chamado Illéa. Illéa é governado através de uma monarquia, e nele a sociedade é dividida por castas, de 1 a 8, sendo a casta 8 a mais pobre e a casta 1 a da família real. A personagem principal, America Singer, é uma rapariga de 17 anos que pertence à casta 5. Trabalha como cantora e pianista, para ajudar a família que lida com prblemas, como a falta de comida e mantimentos. Ela está apaixonda por um rapaz da casta 6, o que é um problema, por ser de uma casta inferior. Se eles casassem, a sua qualidade de vida iria piorar, algo que a sua família não deixaria acontecer, por isso, America e Aspen mantêm a sua relação em segredo há mais de dois anos. Certo dia, America recebe uma carta que convida todas as mulherers solteiras, entre os 16 e 20 anos de idade, a preencherem um formulário para tentarem ser umas das 35 candidatas a noiva do príncipe herdeiro, Maxon Shreve. America, no início, não queria inscrever-se, mas devido ao facto de durante a seleção as famílias serem gemerosamente recompensadas pelos serviços das filhas, ela reconsidera. Ela não teria nada a perder em prencher o tal formulário. Assim sendo, ela arrisca e preenche a sua candidatura. Passado algum tempo, Amerida descobre que faz parte das 35 candidatas destinadas a lutar, ferozmente, pelo coração do príncipe. Tem de ir viver para o palácio onde, através de um encontro atribulado, começa pouco  a pouco a questionar todos os planos que definiu para si mesma. Percebe então que a vida com que sempre sonhou pode não ter comparação alguma com o futuro que nunca imaginou possível...

Filipa Cangueiro, 9ºA-S

Data de leitura: dezembro 2018

publicado por buelivros às 16:59

rainha vermelha.jpg

Título: Rainha Vermelha

Autor: Victoria Aveyard

Editora: Saída de emergência

Ano da 1ª edição: 2015

Género: Ficção jivenil , literatura fantástica      

Sinopse: A "Rainha Vermelha" é o primeiro de uma coleção de quatro livros (Rainha Vermelha, Espada de Vidro, A jaula do rei, Tempestade de Guerra) escrita por Victoria Aveyard.

A "Rainha Vermelha" passa-se numa nova era onde a sociedade está dividida pelo sangue: os de sangue vermelho e os de sangue prateado. 

Os de sangue vermelho são pessoas que nascem destinadas a pertencer à plebe, e que trabalham como ajudantes, criados, soldados, e que podem ser mortos sem qualquer prejuízo. Os de sangue prateado, a elite da sociedade, são os ricos, os que mandam, os que detêm poderes mágicos, são os deuses que controlam a nova era. Mas os deuses deixaram de ser amáveis e passaram a ser mortíferos.

Aos dezoito anos, todos os "vermelhos" que não têm ocupação são levados para a guerra, uma guerra que dura há mais de cem anos, entre os lakelanders, habitantes do reino de Lakeland, e os habitantes do reino de Norta, por causa da disputa da terra fértil e dos rios situados na fronteira entre os dois reinos.

No livro, Mare Barrow, uma "vermelha" de 17 anos, sem emprego, está mentalizada que irá para a guerra, e descobre que o seu melhor amigo, Kilorn, está a uma semana de ser recrutado. Contudo, ela tenta fazer tudo para que isso não aconteça. Para isso, vai falar com o seu amigo Will que a põe em contacto com Farley, a capitã da Guarda Escarlate, um grupo rebelde que luta pela igualdade entre "vermelhos" e "prateados". Farley aceita ajudá-la mas pede-lhe em troca uma quantia exorbitante. Mas Mare não desiste e decide ir com a sua irmã Gisa a um mercado de "prateados" onde tenta roubar o que pode. Numa taberna, onde tenta roubar o maior número de bêbedos, conhece Cal que a impede de continuar a roubar e a obriga a voltar à aldeia. Durante o caminho, Mare fala-lhe dos seus problemas. 

No dia  seguinte, Mare á convocada para trabalhar no palácio real onde está a decorrer a "Prova da Rainha". Nesta prova, as "prateadas" das grandes famílias mostram as suas habilidades e os seus poderes: a mais poderosa casará com o príncipe herdeiro, Tiberias Calore VII.

Durante a última apresentação, um imprevisto faz com que Mare descubra, perante o rei, os príncipes e os nobres, que tem um poder somente acessível aos "prateados". O rei não fica indiferente à miúda relâmpago de uniforme vermelho e decide escondê-la, para a apresentar depois como uma "prateada" há muito tempo perdida que desposará um dos seus dois filhos.

Mare descobre assim um novo mundo, que até então parecia perfeito, mas que poderá ser mortal para ela e para os seus.

Escolherá ela o poder, o amor, ambos?...

Booktrailler:

 

 

 

 

 

 

 

 

Filipa Cangueiro, 9ºA-S

Data de leitura: dezembro 2018

publicado por buelivros às 15:50

teorema de K.jpg

TítuloO Teorema de Katherine 

Autor: John Green

Editora: ASA

Ano da 1ª edição: 2006       

Sinopse: Colin Singleton é um jovem prodígio com uma vida amorosa repetitiva e desastrosa. Durante a sua vida, namorou e foi deixado por 19 raparigas de nome Katherine. Destroçado pelo seu último fim de namoro, Colin decide partir com Hassan numa viagem de carro sem destino definido. Acabam, deste modo, por encontrar Gutshot, no Tennessee, e conhecer Lindsey e a sua mãe, Hollis. Esta última propõe-lhes um trabalho - entrevistar as pessoas da terra - que eles aceitam, pelo que Gutshot se torna o destino a que levou a inicial viagem de fim indefinido. Acabam por conhecer mais algumas pessoas da zona, e Colin debate-se com o pedaço que falta no seu interior, fruto da sua última separação. É neste cenário que o jovem prodígio tem o seu “momento eureka”, percebendo que seria possível existir um teorema que conseguisse representar o sucesso das relações amorosas consoante as características de cada um dos membros do casal, o que evitaria que ele ficasse de novo deprimido pelo final de outro namoro. Assistimos a uma mudança na maneira como Colin considera os seus princípios e percebemos que, afinal, ser importante a nível mundial não é uma condição essencial para a nossa felicidade.

Apreciação Crítica: Este livro não me impressionou muito. O enredo era previsível e a linguagem muito acessível (se é que é possível que exista linguagem demasiado acessível). Apesar de ser divertido, agradável pela sua simplicidade e com um final razoavelmente bom, a história não tem muito conteúdo nem é densa, apenas conta uma história linear e sem muitas reviravoltas. Apresenta uma lição de moral no fim: recorda-nos que não temos de ser populares para ser felizes, que cada um de nós é único à sua maneira e que faz parte de uma globalidade da qual não se sobressai sempre. Além disso, confesso, fiquei com uma particular curiosidade em relação a anagramas e à “matematização” de fenómenos do nosso dia a dia. Penso que é um livro extremamente acessível que não chega aos calcanhares de A culpa é das estrelas, pelo que não considero que seja uma leitura prioritária e essencial tendo em conta a existência de obras melhores.

Citações: “Aquilo de que nos lembramos transforma-se no que aconteceu.”; “a nossa importância é definida pelas coisas que são importantes para nós.”

Helena Rodrigues, 10ºB

Data de leitura: setembro 2018

publicado por buelivros às 15:31

Fevereiro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO