Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BUÉ LIVROS

Este blogue pretende dar a conhecer “leituras” realizadas por alunos do AEMD. Está associado ao projeto "Cartão de Fidelidade" da Biblioteca Escolar que atribui pontos por cada opinião sobre livros lidos.

BUÉ LIVROS

Este blogue pretende dar a conhecer “leituras” realizadas por alunos do AEMD. Está associado ao projeto "Cartão de Fidelidade" da Biblioteca Escolar que atribui pontos por cada opinião sobre livros lidos.

28.Jan.18

A máquina do tempo, H.G.Wells

a máquina do tempo.jpga máquina do tempo.jpg2.jpg

 

Autor: H.G.Wells

Título: A máquina do tempo

Editora: Público

Data de edição: 2004

Data de publicação original: 1895

Número de páginas: 126

Nota: A Máquina do Tempo (1895) é uma das primeiras fantasias científicas de H. G. Wells e um clássico do género, a par de A Ilha do Dr. Moreau (1896), O Homem Invisível (1897) e A Guerra dos Mundos (1898).  

Assunto/Sinopse

Em pleno século XIX, um cientista inglês apresentado como o "Viajante do Tempo" constrói uma máquina capaz de viajar até ao futuro. Ao testá-la, é transportado para o ano de 802-701, completamente desconhecido para o cientista. Este novo mundo é habitado por duas espécies distintas: os Elois, pacíficos e dóceis, que aparentemente vivem uma vida sem preocupações, e os Morlock, criaturas subterrâneas que acabam por se revelar predadores dos Elois. O viajante pensa estudar estas criaturas fascinantes e depois regressar ao seu tempo, quando descobre que a sua invenção havia sido roubada.

Apreciação crítica/Impressões de leitura

Confesso que iniciei esta leitura com bastantes expetativas, mas infelizmente este livro foi para mim uma completa desilusão! É um livro com poucas páginas que, pensava eu, não tardaria a acabar, no entanto demorei bem mais do que aquilo que esperava. Acho que tal se deveu ao facto de a história ter sido, para mim, previsível e pouvo inovadora, dado que o conceito de "viagem no tempo" já foi explorado de todas as formas possíveis! Não gostei das personagens nem da narrativa (feita na 1ª pessoa e por duas personagens), muito superficial, sem grandes explicações.

O único aspeto positivo do livro é, sem dúvida, o modo como o futuro nos é apresentado, a que se deveu o grande sucesso do livro, publicado no século XIX e considerado o primeiro romance de ficção científica a abordar o tema da viagem no tempo, o que despertou a curiosidade das pessoas da sua época. 

Em geral, não gostei, mas apenas porque o li na época errada!

 

Oceana Fernandes, 9A-S

Data de leitura: janeiro 2018

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.