Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BUÉ LIVROS

Este blogue pretende dar a conhecer “leituras” realizadas por alunos do AEMD. Está associado ao projeto "Cartão de Fidelidade" da Biblioteca Escolar que atribui pontos por cada opinião sobre livros lidos.

BUÉ LIVROS

Este blogue pretende dar a conhecer “leituras” realizadas por alunos do AEMD. Está associado ao projeto "Cartão de Fidelidade" da Biblioteca Escolar que atribui pontos por cada opinião sobre livros lidos.

28.Jan.18

Pedro Alecrim, António Mota

pedro-alecrim.jpg

 

Autor: António Mota

Título: Pedro Alecrim

Editora: Gailivro

Data de publicação: 2006

Número de páginas: 131

 

 Assunto/Sinopse

Numa aldeia chamada Pragal, vivia um rapaz chamado Pedro que, com os seus pais, criava gado. Pedro tinha um irmão gago, mas muito meigo e curioso, e uma irmã. Pedro começou a trabalhar mais cedo do que o esperado...

Apreciação crítica/Impressões de leitura

Gostei muito deste livro, porque nos apresenta um passado que se enquadra na realidade dos nossos pais e avós. Muitos não aprenderam a ler e a escrever porque não tinham possibilidades financeiras e tiveram de começar a trabalhar muito cedo para ganhar algum dinheiro. Achei este livro entusiasmante!

João Besteiro Domingues,  5B

Data de leitura: janeiro de 2018

 

 

 Assunto/Sinopse

Este livro é constituído por 23 capítulos e conta a história de Pedro, um menino que andava no 6ºano. Esta história é muito antiga, no tempo em que os meninos tinham de ajudar os pais nos campos e que tinham de abandonar a escola para irem trabalhar e a ajudar a sustentar a família.  Quem conta esta história é o Pedro que mora no Pragal e que tem muitos amigos: o Nicolau, o Luís, a Rita, o Martinho e a Joana.

Apreciação crítica/Impressões de leitura

A passagem de que eu mais gostei foi quando o Pedro contou um episódio que se passara entre a mãe e o pai: uma vez o pai exaltou-se com a mãe e esta, para não discutir saiu de casa. Como ela demorava muito em aparecer, eles foram procurá-la, mas não a encontraram em lado nenhum, por isso voltaram para casa e quando chegaram viram que a mãe já lá estava e aí descobriram onde ela tinha estado…

   A minha personagem preferida é o Nicolau, porque ele era o melhor amigo de Pedro e fazia de Pedro seu confidente. A prova disso foi quando o Nicolau lhe escreveu uma carta em guardanapos a contar o que lhe tinha acontecido.

    Fiquei um pouco confuso com a carta que o Luís escreveu ao Pedro, pois a carta estava escrita numa linguagem cifrada sendo difícil de entender na primeira leitura, por exemplo:”Olávef, Pedrovof!”.

    Gostei muito desta história porque me permitiu saber como algumas as crianças viviam antigamente.

 João Rodrigues,  6A

Data de leitura: dezembro de 2017

 

 

1 comentário

Comentar post